31/10/2017
Vai tudo bem!
Assim como a sunamita, que, como família, possamos procurar em Deus e em seus profetas a ajuda necessária
Solimar Coelho

Eliseu passava por Suném, onde havia uma mulher rica. Quando lá passava, entrava para comer. Em certa ocasião, ela disse a seu marido: Vejo que esse que passa por nós é santo homem de Deus. Façamos-lhe um pequeno quarto no terraço. Quando vier a nós, ali se recolherá. Certo dia, Eliseu veio e se recolheu no quarto e disse a Geazi "chama a Sunamita". Quando ela veio, ele disse a Geazi, "dize-lhe: Tu tens nos tratado com todo o desvelo. Agora dize o que podemos fazer por ti?" Ela respondeu: eu habito no meio do meu povo. Ela estava dizendo: Eu não preciso de nada.

Mas o profeta disse a Geazi: O que se há de fazer por ela? Geazi disse: Ela não tem filho e seu marido é velho. Então Eliseu mandou chamá-la e disse: Daqui um ano abraçarás um filho. Ela concebeu e teve um filho. Tendo ele crescido, um dia estava no campo com o pai e disse: Ai minha cabeça, ai minha cabeça! O pai manda que o levem à sua mãe. Ela o toma no colo e fica com ele, mas ao meio-dia, o menino morre. Ela o leva e o coloca na cama do homem de Deus, fechou a porta e saiu. Manda chamar seu marido e pede um moço e uma jumenta para ir ao homem de Deus. O marido pergunta: Por que vais a ele hoje? Vai tudo bem? Disse ela: Vai tudo bem! Ela vai encontra o profeta, conta-lhe o que aconteceu e este vem com ela até o quarto onde o menino está morto. Eliseu deita-se sobre o menino duas vezes. O menino espirra sete vezes e abriu os olhos. O profeta manda chamar a mãe e diz: toma o menino. Ela entrou, prostrou-se a seus pés, tomou o menino e saiu (II Reis 4.8-37).

Podemos aprender algumas coisas com essa família: Ela teve a visão que Eliseu era um santo homem de Deus. Tinham um coração aberto para hospedar. Constroem o quarto para o conforto do profeta. Não fazem nada esperando recompensa. O marido ouvia sua esposa. Ao enviar o filho doente à mãe, ele tinha segurança de que ela poderia cuidar da situação. Havia unidade e confiança entre o casal. Embora o problema aos olhos humanos não tivesse solução. Ela mantém a calma e não diz nada a seu marido, para não preocupá-lo. Procura ajuda do profeta, sabia que ele era a pessoa certa para resolver aquela situação. E assim, a vitória vem. 

Como temos agido diante dos problemas que nos sobrevêm? Essa família agiu em unidade e confiança e procuraram a ajuda daquele que podia lhes dar a solução. Ao dizer vai tudo bem, aquela mulher mostrou uma atitude de fé, que precisamos ter. Que, como família, possamos agir da mesma maneira, procurando em Deus e em seus profetas a ajuda necessária para obtermos a vitória em nossas dificuldades.

E com você, vai tudo bem?

Solimar Coelho é colunista do caderno Voz de Mulher

 

MAIS LIDAS

Mesa, lugar de comunhão
É tempo de restaurar os elos da comunhão


A Verdadeira Adoração
Vamos começar com uma pergunta: o que você sabe sobre adoração?


Deserto
O deserto tem um conteúdo simbólico muito grande na Bíblia


Mensagem na olaria
Deus nos molda como o vaso na mão do oleiro


Aflição
Por que Jesus nos permite passar pela tempestade?



NOVIDADES
WTV

 FACEBOOK  WTV  NEWS
Centro de Publicações da Igreja Metodista Wesleyana com sede na Avenida Venâncio, 17 - Xerém
- Duque de Caxias - RJ - CEP 25245-500 | CNPJ: 15.732.218/0001-08

© Todos os direitos reservados. 2016